segunda-feira, 13 de abril de 2009

Tradição Trívia



A palavra tradição vem do Latim traditio que significa "legar" ou "transmitir" um conhecimento ou crença, é a transmissão ininterrupta do Conhecimento nos seus múltiplos aspectos, de modo a facilitar a tomada de consciência de princípios imanentes da ordem universal.

Designa, por um lado, a origem do Conhecimento e, por outro, o seu modo de transmissão. O primeiro é imutável e absoluto. O segundo é o resultado sincrético da busca do Conhecimento pelas diferentes partes da humanidade e das suas sucessivas civilizações. Pode adaptar-se incessantemente, para se fazer compreender segundo os tempos e os meios, e acrescentar-se de novos segmentos. Por definição, as tradições são legadas oralmente, ou através de mecanismos não escritos, como danças, formas ou rituais.
Dentro da Antiga Religião também conhecida como Wicca (em uma nomenclatura neo-pagã – entendam neo-pagão como um novo nome, uma remodelação para algo já existente em uma roupagem “moderna”), encontramos várias Tradições derivadas daquilo que foi transmitido através dos séculos. Fazemos nós, parte de uma Tradição chamada TRADIÇÃO TRÍVIA.
O que diferencia uma Tradição de outra são alguns pontos de vista relacionados à visão da Divindade, maneiras rituais e litúrgicas.
O que diferencia a nossa Tradição das Demais? O fato de observarmos e vivenciarmos a Deusa e o Deus em três faces (algumas tradições não celebram e vivenciam o Deus, outras Tradições celebram apenas duas faces Dele). Nós celebramos e vivenciamos a energia da Deusa em seu aspecto Virgem, Mãe e Anciã; celebramos e vivenciamos a energia do Deus em seu aspecto Criança da Promessa, Jovem Caçador e Sábio Ancião.
Dentro de uma Tradição existe uma maneira ritual, uma liturgia, na nossa não é diferente, apesar de nossa liberdade de expressão ser um fato respeitado, principalmente no tocante as orações e invocações para os Elementos e os Deuses, celebramos 13 Esbats com uma energia específica e relacionada a Roda Anual, cada um desses Esbat leva um nome e é celebrado a uma Deusa com energia afim. Essas celebrações vão de encontro ao girar da nossa Roda Anual (dos 8 Sabats), facilitando nossa compreensão e a movimentação da energia nas nossas vidas, porém essa maneira ritual é apenas passada para o indivíduo quando ele se inicia na nossa Tradição. Até lá os ritos são livres e apenas os exercícios são direcionados.
Então compreendemos que Tradição é o conjunto de conhecimento passado através dos tempos, todo aquele que ingressa em uma Tradição está sujeito a acatar os ensinamentos, diretrizes e maneiras rituais por ela determinadas.
Como toda Tradição, a Tradição Trívia tem uma hierarquia, conforme abaixo relacionado:

• Dirigente da Tradição
• Conselho de Élderes
• Neófitos
• Dedicados
• Iniciados de 1º Grau
• Iniciados de 2º Grau
• Iniciados de 3º Grau

Dirigente da Tradição é a pessoa que está no comando de toda a hierarquia, é aquele que orienta e determina quais decisões serão tomadas em situações que coloquem risco ao Sigilo, Preservação, Ordem e Continuidade da Tradição.
Élderes são aqueles que sendo mais antigos iniciados da Tradição, formam um conselho que auxiliam ao Dirigente nas tomadas de decisões que impliquem fatores de ordem espiritual. O conselho de Élderes pode ser acionado a qualquer momento onde o Dirigente ache necessário. Na falta do Dirigente (seja por motivo impossibilidade ou morte) cabe ao conselho de Élderes determinar um substituto para a Direção da Tradição. Através do Conselho de Élderes é dado o parecer de quem será Iniciado ou Banido da Tradição.
Neófitos são todos aqueles que estão no Caminho em aprendizado buscando explicações para suas dúvidas e aguardam oportunidade para serem admitidos na Tradição.
Dedicados são todos aqueles que passaram pelo ritual de Dedicação e se comprometeram diante da Deusa e da Sacerdotisa Iniciadora fidelidade, respeito, sigilo e dedicação à auto compreensão e ao aprendizado do Caminho da Deusa.
Iniciados de 1º Grau são todos aqueles que passaram pelo período de dedicação e que ao final do processo de auto conhecimento e aprendizado foram reconhecidos como aptos a ingressar no Sacerdócio e passaram pelo ritual de Iniciação.
Iniciados de 2º Grau é todo aquele que passou pelo período de dedicação, foi iniciados de 1º grau e cumpriu todos os testes e trabalhos rituais e está apto a se graduar.
Iniciados de 3º Grau são todos aqueles que passaram pelo processo anterior e estão aptos a caminhar rumo ao Sacerdócio Iniciático.
Em nossa Tradição só é dado o direito de um membro iniciar uma outra pessoa quando ele termina o período do 3º grau e passa pelo ritual de Reconhecimento de Alto Sacerdócio.
O conselho de Élderes é formado somente por Alto Sacerdotes.
A Dirigente da Tradição Trívia hoje é Nôra Shannon, que é Alto Sacerdotisa e Fundadora da Tradição.
Gostaria de frisar que não temos nenhum Coven associado a nossa Tradição. E dizer que Tradição e Coven são coisas distintas. A Tradição, como já foi dito é o conjunto de ensinamentos e liturgia, uma tradição pode ter um número infinito de membros, enquanto um coven é um grupo de até 13 pessoas que celebram juntos e criam elo mágico/espiritual entre si para se ampararem no Caminho do desenvolvimento. Várias tradições admitem que sejam formados covens, que neste caso são coordenados por uma Alta Sacerdotisa. A Tradição Trívia não possui Covens.
Acredito que este texto será bastante esclarecedor para todos que hoje se encontram em processo de aprendizado dentro da Tradição Trívia.
Abençoados sejamos todos nós e que Hécate continue iluminando nossos caminhos e ampliando nossos horizontes.
Nôra Shannon

2 comentários:

Rossana disse...

Perguntei em outro post sobre a Tradiçaõ Trívia. Aqui já obtive a resposta. obrigada.

Nôra Shannon disse...

Olá Rossana, entre em contato comigo através do e-mail: norajogando@hotmail.com, terei prazer em responder seus questionamentos diretamente.
Um abraço e bençãos Deles,
Nôra